Home Blog Page 3

Pazuello orienta prefeitos a não reservar 2ª dose e que irá antecipar vacinação de professores

0

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse a prefeitos nesta sexta-feira (19) que a pasta deve alterar a estratégia de vacinação contra a Covid-19.

A partir de agora, cidades não precisam mais reservar a segunda dose da vacina para ser aplicada. A justificativa é que já há maior garantia de produção.

A informação foi divulgada pela Frente Nacional dos Prefeitos, que pediu a reunião com o ministro.

“Agora, a partir do dia 23, com a chegada de 4,7 milhões de novas vacinas, a imunização será em 4,7 milhões de brasileiros, não a metade, como estava acontecendo até então”, informou a frente.

No encontro, Pazuello também disse que deve alterar cronograma para vacinar professores mais cedo. A expectativa é que isso ocorra até março.

Fonte: Folha de Pernambuco

Bolsonaro viaja a Pernambuco para participar do início de testes de obra de abastecimento no Sertão

0

Bolsonaro de volta a Pernambuco

0

Depois de passar por vários Estados nordestinos, o presidente Bolsonaro aterrissa, amanhã, em Sertânia, de volta a Pernambuco, para cumprir mais uma agenda na área hídrica. Faz o acionamento das comportas do Ramal do Agreste no reservatório de Barro Branco. A medida vai possibilitar o início dos testes na estrutura e o enchimento do sistema adutor até o Reservatório Negros-Góis.

Bolsonaro chega na companhia dos ministros Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, e Gilson Machado Neto, do Turismo. Também na comitiva o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), e boa parte da bancada federal, entre eles Fernando Bezerra Filho (DEM), Fernando Monteiro (PP), André Ferreira (PSC), Eduardo da Fonte (PP) e Sílvio Costa Filho (Republicanos).

O projeto integra o sistema da Transposição do São Francisco. Após saírem do reservatório de Barro Branco, as águas passam por oito canais, três sifões e três túneis, que somam 37,4 quilômetros, até chegar ao reservatório Negros, que tem capacidade de armazenar 14,7 milhões de metros cúbicos de água. Toda essa estrutura integra o Marco número 1 da obra, que ainda é composto por mais dois trechos.

O empreendimento tem 70,8 quilômetros de extensão e capacidade de vazão de 8 mil litros de água por segundo. Quando finalizado, o Ramal do Agreste levará as águas do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco à região de maior escassez hídrica de Pernambuco, podendo atender 68 cidades e mais de 2,2 milhões de pessoas por meio da Adutora do Agreste.

No total, o Ramal está orçado em R$ 1,67 bilhão e mobiliza cerca de 2,6 mil trabalhadores. Somente em 2020, R$ 559,5 milhões foram investidos na estrutura. A entrega do Ramal do Agreste, que completou 84,15% de execução, está prevista para junho deste ano.

No Pajeú – A última vez que Bolsonaro pisou em solo pernambucano foi em outubro passado. Em São José do Egito, inaugurou a primeira fase da segunda etapa do Sistema Adutor do Pajeú, beneficiando cerca de 100 mil pessoas da região com a água do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Ali, foram investidos R$ 245 milhões, por meio do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs). Entre 2019 e 2020, os repasses totalizaram R$ 12,7 milhões. São 193,4 quilômetros com sete estações de bombeamento e sete reservatórios apoiados. A água da Adutora do Pajeú é captada no Eixo Leste, em Sertânia (PE), e distribuída para os distritos e sede dos municípios de Carnaubeira da Penha, São José do Egito, Tuparetama, Itapetim, em Pernambuco, e Princesa Isabel, na Paraíba.

Fonte: Blog Magno \Martins

Petrobras sobe preço da gasolina pela 4ª vez no ano; diesel tem 3ª alta

0

Petrobras anunciou nesta quinta-feira (18) mais um aumento dos preços médios de venda às distribuidores da gasolina e do diesel, que irão vigorar a partir de sexta-feira (19), segundo comunicado da estatal.

O preço médio de venda de gasolina nas refinarias da Petrobras passará a ser de R$ 2,48 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,23 por litro. Já o preço médio de venda de diesel passará a ser de R$ 2,58 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,34 por litro.

Preços da gasolina e do diesel — Foto: Economia G1

Preços da gasolina e do diesel — Foto: Economia G1

É a quarta alta do ano nos preços da gasolina, e a terceira no valor do litro do diesel. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02.

Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 34,78% desde o início do ano. Já o diesel subiu 27,72% no mesmo período.

 

Nos postos, a gasolina está 5,8% mais cara desde a primeira semana do ano, vendida a R$ 4,833 na média, segundo pesquisa semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Já o diesel era vendido a um preço médio de R$ 3,875 o litro nas bombas.

Preço médio da gasolina sobe pela quarta semana seguida nos postos, aponta ANP

 

 

–:–/–:–

 

Preço médio da gasolina sobe pela quarta semana seguida nos postos, aponta ANP

Política de preços

No início o mês, a petroleira divulgou comunicado para reafirmar que não houve alteração no alinhamento dos seus preços de combustíveis em relação ao praticado no mercado internacional.

Em nota nesta quinta, a Petrobras afirma que esse alinhamento “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Os preços internacionais do petróleo atingiram nesta quarta-feira os maiores níveis desde janeiro do ano passado. O barril do tipo Brent fechou em alta de 1,6%, a US$ 61,14, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) avançou 1,8%, para US$ 61,14.

A estatal tentou amenizar o impacto das altas no bolso dos brasileiros, citando o preço pago pelos combustíveis internacionalmente. Em nota, destacou que, segundo pesquisa da Globalpetrolprices.com abrangendo 167 países, “o preço médio da gasolina ao consumidor final no Brasil está 17% inferior à média global e ocupa a 56ª posição do ranking sendo, portanto, inferior aos preços observados em 111 países”.

Para o diesel, em uma amostragem de 166 países, o preço final no Brasil está 28% inferior à média global, segundo a estatal, o que coloca o país na 43ª posição do ranking, com um preço inferior a 123 países.

“Em ambos os casos, os preços médios no Brasil estão abaixo dos preços registrados no Chile, Argentina, Peru, Canadá, Alemanha, França e Itália”, acrescentou.

Governo quer mudanças em tributos

Diante de reclamações do setor de transporte sobre o valor dos combustíveis, o governo vem falando em alterar a estrutura de tributação do setor. No último dia 5, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo avalia um projeto para estabelecer um valor fixo do ICMS sobre combustíveis ou a incidência do ICMS sobre o preço dos combustíveis nas refinarias.

O presidente afirmou que o governo está fazendo estudos sobre as mudanças no ICMS e que, se ficar comprovada a viabilidade jurídica, apresentará um projeto sobre o tema ao Congresso na semana que vem.

De acordo com o presidente, o valor do ICMS fixo seria decidido pelos governos estaduais, junto com as assembleias legislativas.

Governo manda ao Congresso projeto que muda cobrança do ICMS sobre combustíveis
Governo manda ao Congresso projeto que muda cobrança do ICMS sobre combustíveis
Fonte: G1 pernambuco

IBGE abre concursos com mais de 8,8 mil vagas para o Censo 2021 em Pernambuco

0

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu dois editais de contratação temporária para a realização do Censo Demográfico 2021. Em Pernambuco foram oferecidas 8.887 vagas com salários de até R$ 2,1 mil. As inscrições devem ser feitas pela internet, têm início na sexta-feira (19) e na terça-feira (23), a depender do cargo.

Um dos processos seletivos foi destinado para dois cargos de nível médio, sendo eles agente censitário municipal (ACM) e agente censitário supervisor (ACS) (confira descrição das atividades das vagas mais abaixo). O segundo edital é específico para o cargo de recenseador, onde é requerido ensino fundamental completo.

Os profissionais selecionados devem trabalhar na coleta de informações para o Censo 2021, que vai entrevistar moradores em todos os domicílios brasileiros. Em todo o país, mais de 200 mil vagas foram oferecidas.

Os contratos para os cargos de ACM e ACS têm duração prevista de cinco meses, já para o cargo de recenseador, o prazo é de três meses, podendo ser renovados de acordo com as necessidades do IBGE e a disponibilidade orçamentária.

Para os interessados nos cargos de ACM ou ACS, as inscrições têm início na sexta-feira (19) e seguem até o dia 15 de março. A taxa de inscrição para as funções de nível médio é de R$ 39,49.

Já no caso dos interessados nas oportunidades de recenseadores, as inscrições devem ser feitas entre a terça-feira (23) e o dia 19 de março. A taxa de inscrição, para essa categoria, custa R$ 25,77. De acordo com o IBGE, as taxas podem ser quitadas em qualquer banco, casa lotérica ou pela internet.

As provas são presenciais e com questões objetivas, com duas datas definidas pelo IBGE. Em 18 de abril para os cargos de ACM e ACS, e em 25 de abril, para os concorrentes a recenseadores. De acordo com o IBGE, os exames devem acontecer “seguindo os protocolos sanitários de prevenção da Covid-19“.

Veja a distribuição de vagas e salários

7.922 vagas para a função de Recenseador: remuneração por produção, de acordo com o número de domicílios visitados e questionários respondidos.

  • 241 vagas para a função de Agente Censitário Municipal: salário de R$ 2.100.
  • 724 vagas para a função de Agente Censitário Supervisor: salário de R$ 1.700

    Recenseador

    Para a função de recenseador, é necessário que o candidato tenha ensino fundamental completo, conforme consta no edital. Ele fica responsável por fazer o trabalho da coleta de dados por meio de entrevistas com os moradores.

    De acordo com o IBGE, a remuneração é calculada por produção, com base no:

    • Número de unidades visitadas;
    • Taxa de remuneração dos setores censitários;
    • Número de questionários respondidos;
    • Número de pessoas recenseadas.

    Para este cargo, não há horário fixo, mas espera-se que dedique ao menos 25 horas por semana, inclusive nos feriados e finais de semana, de acordo com o IBGE. O recenseador também tem direito a 13º salário e a férias proporcionais aos dias trabalhados e à produção.

    Antes de iniciar o trabalho, os recenseadores aprovados devem passar por um treinamento durante cinco dias, com oito horas diárias de duração. Ao final da etapa presencial, o candidato deve passar pelo teste final do treinamento e precisa obter 50% de acertos e, pelo menos, 80% de frequência.

    O IBGE informou que é oferecida uma ajuda de custo para os candidatos que tiverem pelo menos 80% de frequência no treinamento presencial.

    Agente censitário

    Para as funções de agente censitário, é exigido ensino médio completo, de acordo com o edital das vagas. No caso do ACM, ele deve gerenciar o posto de coleta e, durante todo o trabalho do Censo Demográfico 2021, fica à frente de atividades administrativas e técnico-operacionais.

    Já o ACS exerce as tarefas de supervisão da operação censitária, com foco nas questões técnicas e de informática e administrativas e fica subordinado ao ACM.

    Como a prova é a mesma, o candidato que obtiver melhor classificação recebe a vaga de ACM. Aos demais candidatos classificados são asseguradas as vagas de ACS, de acordo com a ordem de classificação. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, sendo 8 horas diárias.

    Fonte: G1 pernambuco

 

FPM: 1º decêndio de fevereiro de 2021

0

2021 começa bem financeiramente para as prefeituras.

Descrição

De acordo com os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN),a 1º parcela de fevereiro de 2021, comparado coma mesma parcela do ano anterior, apresentou um crescimento de 14,96%.

https://www.cnm.org.br/biblioteca/exibe/14864

Fonte: CNM

Janeiro foi o mês que mais registrou mortes desde o início da pandemia no Brasil

0

Pela primeira vez desde o início da pandemia de covid-19, a média móvel diária de mortes pela doença ficou acima de 1.100 no Brasil. Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram uma média de 1.105 vítimas neste domingo, 14, o que significa que nos últimos sete dias morreram mais de 7.700 pessoas no País pelo novo coronavírus.

O total de mortes pela doença chegou a 239.294 desde o começo da pandemia. Nas últimas 24 horas, foram registrados 647 óbitos e 22.400 testes positivos. O número de casos total chegou a 9.833.695, segundo dados repassados ao consórcio pelas secretarias estaduais de saúde. O consórcio é formado pelo EstadãoG1, O Globo, Extra, Folha e UOL.

Em números absolutos, os maiores registros de mortes nas últimas 24 horas são de Minas (119 vítimas) e do Rio (104 vítimas). Foi em Minas também o número mais alto de novos diagnósticos confirmados (3.184), seguido pela Bahia (2.584) e São Paulo (2.187).

A alta média deste domingo se deve aos registros elevados ao longo da semana. Entre a segunda-feira passada, 8, e este domingo, 14, somente dois dias não tiveram mais de mil mortes. Entre terça-feira, 9, e o sábado, 13, os óbitos diários superaram essa marca. O registro da quinta-feira, 11, ficou em 1.452 mortes.

De acordo com o Ministério da Saúde, o País soma 8.745.424 pessoas recuperadas da covid-19. Os dados da pasta apontam um total de 239.245 mortes, 713 nas últimas 24 horas, além de 9.834.513 casos confirmados. Os números do consórcio diferem dos dados do ministério em razão da metodologia de coleta.

Consórcio dos veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Por  Marco Antônio Carvalho/Estadão

 

 

Quem sabe faz assim: Miguel Coelho apresenta planos para os próximos quatro anos à frente da Prefeitura de Petrolina

0

Quem faz a diferença e tem compromisso, age como o prefeito reeleito miguel Coelho, planejamndo e prestando conta do seu trabalho com a população.

Matéria de 04/01/2020

Vale a pena conhecer.

Ainda em janeiro de 2020, o prefeito reeleito de Petrolina apresentou, durante entrevista coletiva, as metas e os planos para os próximos quatro anos. Miguel Coelho anunciou tambéma equipe de gestão e uma nova identidade visual do governo.

“Acabamos de lançar a nova logomarca, mas as prioridades dos próximos quatro anos, nosso programa de governo consiste em 150 metas, das quais 75 já foram pactuadas. Na infraestrutura, serão mais de 15 avenidas duplicadas, 100% da cidade em lead, 12 escolas e creches também construídas para melhorar o serviço educacional, além dos investimentos na saúde. É importante destacar, que nesse primeiro mandato, nós conseguimos quase que dobrar a capacidade de investimento da prefeitura. A nossa meta é que agora em 2021 é que a gente invista a partir de R$100 milhões por ano, e, que a gente possa aumentar ano a ano”, disse Miguel Coelho.

Neste segundo mandato, o programa de governo criado tem seis pilares temáticos: A ampliação do desenvolvimento urbano (“Petrolina Cresce Mais”); acesso à saúde pública de qualidade (“Petrolina Cuida Mais”); novas ações para educação (“Petrolina Educa Mais”); crescimento econômico com sustentabilidade (“Petrolina Gera Mais”); investimentos na redução de desigualdades (“Petrolina Abraça Mais”); e gestão pública eficaz (“Petrolina Mais Moderna, Eficiente e Transparente”).

Para cada um desses seis eixos, serão implantados programas e investimentos para os próximos anos. Na área de saúde, por exemplo, o prefeito reafirmou o compromisso de construir o Hospital da Criança, quatro policlínicas, laboratório público e novos postos de saúde. Também estão previstas a implantação de 15 escolas em tempo integral, seis creches e bibliotecas públicas em quatro bairros para reforçar a educação.

Miguel falou também da ampliação de investimentos em programas sociais, duplicação de 16 avenidas da cidade, criação da Orla 3, obras em praças, fomento ao emprego, parcerias público-privadas para iluminação, saneamento entre outros compromissos.

Fiocruz identifica variante do coronavírus em mais cinco estados, incluindo Pernambuco

0

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já encontraram a variante P.1 do novo coronavírus (Covid-19), descrita pela primeira vez no Amazonas, em mais cinco estados: Pará, Paraíba, Roraima, Santa Catarina e São Paulo, segundo nota divulgada hoje pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC). Casos provocados pela nova variante P.1 também já foram confirmados pelas secretarias estaduais de Saúde da Bahia, do Ceará e de Pernambuco.

Até o momento, não há dados que relacionem essa variante a quadros mais graves da covid-19, porém as mutações identificadas nela são semelhantes às das variantes encontradas no Reino Unido e na África do Sul, e têm potencial de facilitar a transmissão. Em todo o país, especialistas da Rede Genômica Fiocruz integram um esforço que já sequenciou quase 3,6 mil amostras coletadas no Brasil, sendo 1.035 em São Paulo, 726 no Rio de Janeiro, 340 no Amazonas, 306 Rio Grande do Sul, 167 na Paraíba, 150 em Pernambuco e as demais em outros estados.

Um balanço desse trabalho aponta que mais de 60 linhagens do vírus já foram encontradas no país, porém predominam a B.1.1.33 e a B.1.1.28, que circulam no Brasil desde março. O surgimento de linhagens diversas é um processo comum nos vírus, e, na maior parte dos casos, as mudanças implicam pequenas diferenças no material genético.

Foi a B.1.1.28 que, após mutações, deu origem à variante P.1, encontrada no Amazonas, e à P.2, descrita pela primeira vez no Rio de Janeiro. Ambas são consideradas “variantes de preocupação” e apresentam modificações na proteína spike, estrutura do vírus que se conecta às células humanas. No caso da P.1, há três mutações relacionadas à proteína (K417N, E484K e N501Y), e, na P.2, uma mutação (E484K).

No Amazonas, a variante P.1 foi apontada como a causadora de 91% dos casos da Covid-19 que tiveram seu material genético sequenciado em janeiro. A variante se tornou a dominante no estado, tomando o lugar da B.1.1.28. Entre os objetivos dos pesquisadores estão entender a dispersão das linhagens do coronavírus no território nacional e identificar se as mutações recém descritas podem afetar a resposta induzida pelas vacinas.

Temendo riscos da covid-19, bolsistas da UFPE questionam retorno de atividades presenciais

0

Em meio à pandemia e à remodelagem dos métodos de trabalho remoto ou home office, algumas categorias ainda sim temem os riscos de contaminação da covid-19. Em contato com este Blog, alguns bolsistas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), por exemplo, cobram um esclarecimento da instituição acerca da exigência para que eles retornem às atividades presenciais.

Segundo os bolsistas, muitos estariam sendo obrigados a retornarem às atividades presenciais sob risco de perder a bolsa.  “Recentemente, fomos surpreendidos com o relato de alguns colegas bolsistas que estão sendo obrigados a retornar ao trabalho presencial em seus setores, muitas vezes com retaliação e risco de serem desligados da bolsa” disse um dos bolsistas. O Blog reserva espaço caso a UFPE deseje se pronunciar sobre a situação.

Fonte: Blog Carlos Brito